Picture to the top of this web page

A Empresa

A Camposol foi fundada em 1992 por Peter Knight e Peter Waring com o objetivo de produzir hortícolas para abastecer o mercado do Reino Unido durante os meses de Inverno. Inicialmente adquiriram 45 ha de terrenos na região de Odemira, na Costa Sudoeste de Portugal. A área foi escolhida devido ao clima - invernos suaves e verões temperados, pela abundância de água de irrigação da barragem de Santa Clara, e pela grande área de campo de areia, de drenagem livre que permitiu a plantação e colheita durante todo o ano. As 3 primeiras culturas cultivadas foram batatas, beterrabas e cenouras. Peter Waring aumentou estas colheitas no inverno, permitindo assim fornecer todo o ano os clientes BRITÂNICOS.

Ao longo dos anos outros vegetais foram cultivados incluindo pastinaga, nabo, rabanete, alho, espinafre e abóbora e foram arrendados mais terrenos para possibilitar uma produção de 650 ha.

Em 1996, a Camposol começou a ensaiar a produção de relva com 4 ha cultivados no primeiro ano. Com a experiência dos paisagistas portugueses da EXPO 98 em Lisboa, onde os atrasos na construção causaram a importação massiva de relva de França, o mercado expandiu-se rapidamente e hoje a Camposol produz e vende 100 ha de relva por ano. São cultivadas duas misturas principais: a festuca arundinacea / poa pratensis mistura para uso em jardins e um lolium perenne / poa pratensis mix para uso em espaços desportivos. O principal mercado da relva é no Norte de Portugal e Espanha. O relvado para uso em espaços desportivos é cortado em grandes rolos e é vendido para campos de golfe e estádios de futebol. A Camposol tornou-se um dos principais produtores europeus de relva - o maior da Península Ibérica e o único produtor na Europa a transportar a certificação GlobalG.A.P. para a produção de relva. Entre os nossos clientes de relva para espaços desportivos estão clubes como o Real Madrid, Barcelona, Atlético de Madrid, Sevilha, Betis, Valencia, Málaga, Ibar, Porto, Benfica, Sporting, Lyon, Mônaco e Dusseldorf.

Em 2008, Peter Knight procurava novas culturas para novos mercados, pois havia uma intensa competição de preços no mercado britânico e técnicas de armazenamento melhoradas que fechavam as oportunidades de vender o produto importado. Foi a salsa de raíz que levou à introdução de Pavel Pokorny, da Bramko, na República Checa através de Christiaan Reynders da empresa de sementes Bejo. Por coincidência, a gestora de produção da Camposol, Jana Fachadas era Checa, o que facilitou a comunicação e foi feito um ensaio de cultivo de 5 ha.

Ao longo de campanhas sucessivas a Bramko tornou-se um cliente importante para a salsa de raíz e cenouras e com a saída de Peter Waring em 2016, a Bramko tornou-se o principal acionista de Camposol.

As sementeiras foram alteradas para coincidir com a produção da Bramko na República Checa, a fim da Bramko poder abastecer os seus clientes dos supermercados durante todo o ano.

Produção atual:
  • Salsa de raiz: molhos, granel, frisada 120ha
  • Cenouras: molhos, granel e baby 80ha
  • Batatas: variedades brancas e vermelhas 50ha
  • Aipo: com e sem folhas 20ha
  • Rabanete 40ha
  • Nabos 30ha
  • Batata doce: branca e laranja 20ha
  • Abóbora manteiga 40ha
  • Abóbora Hokaido 30ha
  • Relva 100ha

A Camposol é certificada pela GlobalG.A.P., British Retail Council, Tesco Nurture, Marks and Spencer Field for Fork e LEAF-Linking Environment and Farming.